Meu Veneno

Por Alex Ribeiro

És meu pequeno frasco de veneno
Que foi deixada num refrigerador qualquer
Que agora está diante de mim tentadora
Admiro-te então nesse fim de dia

O vento bate em teu corpo molhado
Eu contorno teu corpo com a ponta dos dedos
Aprecio todos contornos de tuas curvas
Seguro-a decididamente em libido

Quanto mais te conheço sei de teu conteúdo
Aquilo que quero consumir sem pudor
Embriagar-me, enlouquecer-me em ti
Viciar-me no sabor do perfume que tu tens

Quando tua boca vermelha encontra meus lábios
Sinto-me tomado apreciando teu mel
A envolvo quero tê-la pra mim
Enquanto teu veneno me conduz ao meu fim

Beijo tua boca e encharco meu peito
Sinto estar num palácio de Deus
Enquanto meu tato descobre tua geografia
Deixo que tua alma seja uma estrela guia

Morro no veneno de teu conteúdo
Escorro meu ser no teu tudo
Morro vivendo pra tua alma
Assim sorrio enquanto a solidão desaba

Autor: Alex Ribeiro

Ator da Cia de Teatro Assisto Porque Gosto, psicólogo, poeta.

Deixe um comentário