Setembro especial Greta Garbo

No mês de setembro, a Cia de Teatro Assisto Porque Gosto fará uma homenagem a um dos ícones da história do cinema, a inesquecível Greta Garbo. Publicaremos em nosso blog, toda sexta-feira, ao meio-dia, uma resenha sobre alguns dos principais títulos da filmografia da estrela sueca. Os escolhidos são Mata Hari (1931), Rainha Cristina (1933), Anna Karenina (1935) e Ninotchka (1939). E A Dama das Camélias (1936), resenha esta já disponível em nosso blog.

Nascida em 1905, em Estocolmo, na Suécia, como Greta Lovisa Gustafson, a grande atriz trágica começou sua carreira no cinema, no início da década de 1920, como comediante. No período em que estudou artes cênicas na Academia Real de Teatro Dramático, foi descoberta pelo cineasta finlandês Mauritz Stiller (1883-1928), seu mentor e segundo pai. O único filme dessa parceria, A Lenda de Gösta Berling (1924), chamou a atenção de Louis B. Mayer (1885-1957), dono da MGM à época, que os levou para Hollywood, em 1925, onde Garbo reinou absoluta por mais de dez anos, tornando-se uma das atrizes mais influentes de sua época.

Em 1941, devido ao fracasso de público e crítica de seu último filme, Duas Vezes Meu, e principalmente por motivos pessoais, Garbo decidiu abandonar definitivamente as telas. A partir de então, optou por não concorrer com o próprio mito, e até sua morte, em 1990, lutou bravamente por sua privacidade, fugindo dos holofotes, não dando aos curiosos a chance de se aproximarem. Criou, com isso, uma aura de mistério e especulações em torno de si, entrando para o imaginário coletivo como uma estrela enigmática e solitária.

Premiada duas vezes pela Associação dos Críticos de Cinema de Nova York, Greta Garbo foi indicada quatro vezes ao Oscar de Melhor Atriz, mas jamais recebeu a cobiçada estatueta. Somente em 1954, ela viria a receber da Academia um Oscar especial pelo conjunto da obra. Sua carreira foi relativamente curta, mas o suficiente para deixar sua imagem forte, bela e hipnótica gravada para sempre nos olhos deslumbrados do público, garantindo assim seu lugar entre as grandes lendas da história da sétima arte.

Agora resta-nos convidar os leitores espectadores a acompanharem as nossas resenhas semanais, e incentivamos desde já a assistirem aos belíssimos filmes onde a exuberante Greta Garbo nos presenteia com seu charme, empatia e atuações impecáveis.

Leivison Silva Oliveira

Autor: Leivison Silva

Ator da Cia de Teatro Assisto Porque Gosto. Cantor lírico formado no Curso Básico de Canto Erudito da Escola de Música de Brasília, com realização de trabalhos no teatro, no cinema e na música. Iniciado na arte da palhaçaria – seu palhaço chama-se Josephyno.

Deixe um comentário